Tuesday, July 7, 2009

benni hemm hemm - DISCOGRAFIA

hoje vou deixar a maior parte da falação de lado e apenas dizer que:
1) deu um trabalho do caramba pra achar a discografia completa deles;
2) sim, a banda tem incontáveis membros. literalmente. e isso por conta de algo muito simples: na foto abaixo há 10 pessoas; no discogs a lista sobe pra 15 e no myspace deles são 19. whatever.
3) por falar em discogs, recomendo muito o link abaixo, que contém a discografia deles e todos os projetos paralelos e/ou solos. vale a pena.
4) gente, morr music. preciso dizer mais alguma coisa?
5) se você vier pra mim dizendo: AH, MAS TÁ FALTANDO 2 SINGLES NA DISCOGRAFIA! ALIÁS, UM DELES É COM O JENS LEKMAN E EU QUERO AGORA!, eu direi: calma. as músicas "faltantes" estão numa compilação linda da morr music que postarei em muito breve. portanto, é só aguardar. :)





ein í leyni (2007)



murta st. calunga (2009)

agora, cantem comigo enquanto assistem a esta primorosa atuação com indescritível drama desse garoto islandês:

i can love you in a wheelchair babyyyy
i can love you any way you waaaant
i can love you anywhere you want me to
i can do it aaaanytiiiiiiiiiiiime


Saturday, July 4, 2009

macaco bong - artista igual a pedreiro (2008)


pra quem achava que mato grosso só tinha mato, e era grosso, ou que era sinônimo de pantanal, ou (insira aqui qualquer estereótipo aleatório sobre estados do interior), precisa ver o que esse power trio de cuiabá é capaz de fazer. lançando um cd pela trama, gravadora conhecida por revelar e contratar grandes talentos alternativos brasileiros (ed motta, tom zé, cansei de ser sexy, móveis coloniais de acaju), macaco bong consegue ganar espaço com um estilo pouco convencional, o rock instrumental.
praqueles que odeiam instrumental, ou que ligam logo com música clássica, acho melhor já ir baixando o cd, porque não vão encontrar absolutamente nada que seja monótono ou erudito. o rock deles é intenso, admitidamente sensual, e com músicas como amendoim, noise james e vamos dar mais uma, dizer que são chatos se torna totalmente impensável.

quem disser que já viu banda de instrumental com esse estilo, tá mentindo.

mas não é só de guitarras distorcidas e ritmos de bateria frenéticos que vive a banda. outras músicas, como fuck you lady e black's fuck, que, apesar de terem fuck no nome, são bem mais calmas e sensíveis, demonstram o aspecto melódico do trio.
e sabem o que é o melhor de tudo? o álbum é grátis e legal. e a banda ainda ganha dinheiro a cada download completo. mas como isso é possível, luciano? ora, a trama usa de anúncios, que são colocados logo antes que o download comece, e o anunciante paga pra trama e pros artistas uma parcela por download. lindo, né?
vai logo, clica no nome do álbum logo abaixo da foto da capa e baixe, feliz por ter uma boa música e pelo sentimento de dever cumpido.

tracklist:

01 - Amendoim
02 - Fuck You Lady
03 - Noise James
04 - Shift
05 - Black's Fuck
06 - Rancho
07 - Bananas For You All
08 - Belezza
09 - Compasso Em Ferrovia
10 - Vamos Dar mais Uma

Sunday, June 28, 2009

promise and the monster - transparent knives (2007)

promise and the monster - transparent knives

de garotas com violões querendo ser musas do folk, a cena musical está lotada. mas poucas têm a força de uma vashti bunyan, joanna newsom ou cat power, apenas para citar três que gosto muito - e são muitas as que admiro.
creio que billie lindahl, a doce voz por trás de promise and the monster, esteja no caminho certo. e bem encaminhada, por sinal, principalmente por admitir muito bem suas escolhas estéticas e não pretender ser apenas uma garota com um violão fazendo canções de amores não-correspondidos.

transparent knives é uma combinação muito difícil de ver por aí: sombrio e belo. a voz leve, fria e agudíssima de billie se contrapõe o tempo todo com as composições obscuras, graves, solitárias. e essa combinação acaba sendo, no mínimo, uma surpresa - e muito boa.
para um álbum debut, a sueca de estocolmo mostra quem é com sinceridade, o que pode não agradar aos ouvidos mais pop e ansiosos por mais músicas como single girl, married girl, a mais leve do disco, mas que nos indica novas possibilidades, e uma maturidade surpreendente para alguém que faz composições como as deste disco com apenas 20 anos.

Thursday, June 25, 2009

video: son of dave - bonkers

você já deve ter visto algum vídeo de uns caras que fazem beatbox com gaita (harmonica). eu sempre achei o máximo, porque gosto das duas coisas. agora, o que o son of dave faz, eu realmente não esperava: música eletrônica com gaita, NA MARRA. e ainda por cima, uma versão de bonkers, do dizzee rascal, que diga-se de passagem, ficou bem melhor que o original - e olha que eu não sou muito chegada em covers! veja por você mesmo, e compare as versões. no myspace do dizzee tem o vídeo da música, e abaixo o cover.

Sunday, June 21, 2009

ramona córdova - the boy who floated freely (2005)


ramona córdova é, na verdade, ramon vicente alarcón, um cara que se interessou a tocar guitarra quando viu pela primeira vez marty mcfly com aquela linda guitarra vermelha , tocando johnny b. goode na clássica cena de back to the future. desde então, parece que nunca mais parou.
mas não se enganem pela ótima referência: ramona córdova é um projeto nem um pouco rock 'n roll. pra começar, ramón usou o nome da avó. sim, ramona córdova é a avó dele! e acho que isso ajuda muito a compreender este projeto incomum do que normalmente encontramos por aí.
the boy who floated freely é uma história contada em forma de músicas. e a história é de um menino chamado giver. a primeira música nos dá o tom: i was just a boy / fell into an ocean /washed up on a shore /and now i'm here to see / what i will see.

o que se seguem são canções todas lindas, melódicas e singelas, e cada uma é um capítulo da narrativa, que se desdobra sempre de forma inusitada com os falsetos da incrível voz de ramon. sons de grilos, pássaros e portas se abrindo fazem a imaginação voar e ver dias ensolarados, noites solitárias e um bar com uma banda cigana.
ramon dá voz a giver na maioria das músicas. e as letras falam de coisas tão simples e tão difíceis de serem ditas, mas que neste álbum soam com uma naturalidade e beleza incomuns. família, amor, futuro, verdade. está tudo lá.

eu realmente gosto muito deste álbum. posso dizer com tranqüilidade que é o meu preferido no momento - e esse momento já dura uns 2 anos. isso eu creio que seja por conta da grande sinceridade e simplicidade que as músicas contêm. sabe aquele álbum que você ouve e, por conta da grande identidade que você cria com ele, pensa: "se eu fosse capaz, teria feito exatamente essas músicas"? é como me sinto.
ramona córdova é a prova de que não se precisa muito mais do que uma voz, um instrumento e um coração aberto para fazer boa música que toque profundamente em quem ouça.

o link que coloquei acima para baixar é do próprio site do ramon. no arquivo zipado há toda a arte do álbum e as letras de todas as músicas. você ambém vai encontrar a versão demo do álbum, igualmente linda. ele escreve sobre o processo, dizendo que foi gravado num pequeno apartamento que ele dividia com um amigo chamado isaac, na filadélfia. portanto, ao fundo de algumas músicas você pode ouvi-lo fazendo chá ou lavando as louças na cozinha, além do aquecedor.

e para terminar, a letra de uma das músicas que mais gosto. adoro todas, na verdade, mas essa é particularmente especial:

don't use a light
i can find you fine
my hands paint your picture in my mind
i want to know
your body like my own
and i want to hold you

up up down down left right left right b a start - and nothing is #1 (2003)

ohev records

aí está o álbum que prometi no twitter. esse eu tive que fazer o upload, porque tava bem difícil de achar (o que não foi muito sacrifício: fiz um upgrade grátis da minha internet de 500k pra uma de 1.5 mega e, bem, o álbum só tem 41.2 mega). mas valeu a pena pra apresentar essa banda, o delírio dos nerds, a inauguração do que eu chamo de math rock.
pra você que não teve uma infância nerd, aí vai a explicação do nome da banda. uuddlrlrbas é um código da konami, um macete clássico, que funciona em vários jogos até hoje, desde o nintendinho, o 8 bits, que veio antes do super nintendo. fazia juízes de futebol virarem cachorros, 3 vidas virarem 30, personagens fazerem comentários sarcásticos... enfim, vocês entenderam.

ah, que saudade!

sobre o álbum, ele é daqueles que você não sente que passou. ele tem meia hora, se tanto, mas não é por causa do tamanho, mas pela qualidade. muitos dizem, quando eu passo uma música deles, que se sentiram meio incomodados com o ritmo. eu acho que aí, e nas letras, que mora a qualidade deles. muitas vezes o som é em métrica quebrada.
you landed so gracefully, primeira música do disco, descreve esse estilo, muito bem calculado e nunca truncado, com perfeição. o que parece ser um ritmo de valsa, na verdade, não é - é um compasso 4-2. e as letras, ah, as letras são nerds também. sobre amores não compreendidos, sobre pensamentos de como quer ter os músculos do pai, sobre bicicletas, coisas bem infantis e nerds.
um disco de rock agradável, de ótima qualidade de arranjos e letras. e o melhor: lança um novo estilo. um paraíso pros geeks de plantão.
nota: quando procurei pelo site da gravadora, veio uma página com uma mulher negra dizendo que foi lambida por... enfim, vocês entenderam. então preferi deixar sem link mesmo.

Wednesday, June 17, 2009

pedro the lion - control (2002)


pra iniciar bem minha participação aqui no blog, posto logo um dos meus álbuns favoritos, de uma banda que já acabou e que quase ninguém conhece (mas deveria). ela se chama Pedro the Lion. formada por David Bazan mais duas pessoas aleatórias, faz um indie rock que quase tange o downtempo e o slowcore, sempre com letras marcantes, seja por sua crítica ácida ou por sua tristeza aguda.
no entanto, esse disco é uma exceção. o violão é substituído por uma guitarra, muitas vezes distorcida, levando a intensidade da música típica de Bazan ao extremo. músicas como Indian Summer e Penetration fazem qualquer capitalista convicto rever seus conceitos econômicos, enquanto que Options e Priests and Paramedics criticam a sociedade com exatidão milimétrica.
vocês devem estar achando que eu adoro uma boa crítica social na música, mas não é verdade. gosto muito mais de músicas sentimentais do que críticas, como KoC, do último post da akemi. o fato é que, mesmo sendo cristão devoto, David consegue botar o dedo na ferida (junto com o resto do braço, diga-se de passagem), usando as palavras como devem ser usadas, sem medo de chocar e, incrivelmente, sem perder a elegância.

sim, ele até lembra um desses personagens bíblicos

quando se vê a discografia completa da banda, dá pra ver que a sensibilidade de Bazan não se resume às criticas feitas nesse álbum. músicas como The Longest Winter e I Am Always the One Who Calls mostram também o lado amoroso, apesar de não estarem neste disco. enfim, uma banda exemplar, um disco exemplar.

tracklist:

1. Options
2. Rapture
3. Penetration
4. Indian Summer
5. Progress
6. Magazine
7. Rehearsal
8. Second Best
9. Priests and Paramedics
10. Rejoice

Tuesday, June 16, 2009

NEWS: good things come to those who wait


lembra do kings of convenience, aquelas gracinhas? o riot on an empty street foi lançado em 2004 e desde então, se você é fã como eu e o luciano, provavelmente ficou chupando o dedo, se contentando com a outra banda do erlend, the whitest boy alive, ou quem sabe com a outra banda do eirik, kommode. esta última dá um consolo maior, já que se parece mais com o som da dupla. ainda assim, não são 3 músicas no myspace que vão te salvar da ansiedade. pelo menos pra mim, tem sido uma espera longa e árdua.
mas saiba que ela acabou. ou vai durar mais três meses. caso não tenha se cadastrado no mailing dos reis da conveniência - e que eles NUNCA usam - abaixo está um cartão postal que o erlend enviou para os fãs, no dia 14 de julho. alegre-se: há esperança. :)

e pra relembrar the good ol' times, meu clipe preferido deles.


Sunday, June 14, 2009

various artists - see you on the moon! songs for kids of all ages (2005)


eu sempre gostei muito de discos para crianças. não esses discos imbecis, com músicas idiotas. estava cansada de músicas que tratam as crianças como um bando de retardados. recentemente, comecei a procurar algumas compilações e artistas que se propõem a fazer música infantil inteligente - e encontrei muita coisa.
uma dessas pérolas é o disco see you on the moon!, uma compilação da paper bag records.
se você conhece um pouquinho da cena indie, tenho certeza que vai gostar. a tracklist inclui artistas louváveis como sufjan stevens e mark kozelek, e exceto dois covers de músicas infantis famosas nos eua, todas são composições originais, feitas especialmente para o álbum.

cena do clipe "your rocky spine", do great lake swimmers

o nome do álbum vem da música do great lake swimmers, que, aliás, é usada num comercial da honda.
a versão de sufjan de the friendly beasts, uma canção de natal, é linda, assim como a hilária música que abre o álbum, be nice to people with lice, de alan sparhawk, vocalista do low. outras faixas marcantes são 24 robbers, do apostle of hustle com um bando de pirralhinhos, voices are your best friend, max, baby brother, leo and luna e faith's silver elephant, além das curtíssimas intervenções delicadas de montag.
abaixo, a tracklist:

01. Alan Sparhawk - Be Nice to People With Lice
02. Great Lake Swimmers - See You On The Moon!
03. Sufjan Stevens - The Friendly Beasts
04. Montag - Kiddo 1
05. Apostle of Hustle feat. The Husky's - 24 Robbers
06. Junior Boys - Max
07. Broken Social Scene - Puff The Magic Dragon
08. FemBots - Under The Bed
09. Montag - Kiddo 3
10. Glissandro 70 - Voices are Your Best Friend
11. Mark Kozelek - Leo and Luna
12. Detective Kalita - Baby Brother
13. Montag - Kiddo 2
14. Hot Chip - I Can't Wake Up
15. Kid Koala feat. Lederhosen Lucil - Fruit Belt
16. Montag - Bonne Nuit Etienne
17. Rosie Thomas - Faith's Silver Elephant